Entramos com o melhor, mas…

Todos sabem o quão jovem é o time do Unidos do Santo Afonso. Portanto, não ficarei ressaltando mais isso.

Todos sabem que o time do Paiaiá FC é time formado, em sua grande maioria (redundância?) por jogadores acima de 37, 40 anos (veteranos). Mas o hoje o time do Paiaiá estava com sua melhor formação: 1 Rui, 2 Aleff, 3 Zé Elson, 4 Gabriel, 6 Jojó; 5 Neto, 8 Rayner, 7 Guduga, 10  Amarelo;11 Regis; 9 Binho.

Se podemos considerar como um sinal de que algo daria errado no jogo de hoje, por parte o time do Paiaiá, foi a contusão do zagueiro Zé Elson, logo no início do jogo. Com a saída de Zé Elson o time fica sem sua principal referência na defesa.

Fabrício entrou no lugar de Zé Elson e formou dupla com Binho no ataque; Regis recuou para o meio; Jojó foi descolado para a zaga; Guduga ocupou a lateral esquerda. Força total.

Pedimos desculpas ao nosso amigo Reis Prado por não ter entrado no jogo. Mas sua presença é importante para todos nós.

Mas o time deixou alguns espaço no sistema defensivo. Jojó demorou a “entrar” no jogo, quando passou a ocupar a zaga. Foi em um desses espaços que, depois do “juiz” (um jogador do time do Unidos do Santo Afonso) não marcar um toque de mão que resultou no primeiro do jogo. U. do Sto. Afonso 1 x 0 Paiaiá.

O resultado de 1 x 0 no primeiro tempo foi injusto. Tendo em vista o futebol e as chances de gols criadas pelo Paiaiá. Não. Os atacantes não perderam gols “feitos’, como se diz no futebol. Me refiro a bola na trave de Fabrício, cobrança de falta de Binho e do volume de jogo do time.

O time que voltou para o segundo tempo foi o mesmo que terminou a eta inicial. Havia muita confiança nos jogadores que estavam em campo.

O confiança, agregada a suas respectivas qualidades, era o ponto motivador para que o Paiaiá empatasse o jogo.

O Paiaiá FC, cresceu no segundo tempo, empatou o jogo com Regis depois de uma boa troca de passes entre Binho, Fabrício e o autor do gol.

O mesmo Binho que criou a situação do primeiro gol, um craque de bola, fez Paiaiá 2 x 1 Unidos do Santo Afonso.

Esse gol deu confiança ainda mais ao time e o adversário sentiu o”golpe”.

Era necessário mudar o time. Rafa Prado e Itaécio entraram no jogo no lugar de Rayner e Fabrício, que voltaria ao jogo no lugar de Guduga.

Se 2 x 1 deixou o time da casa de “cabeça baixa”, o gol de empate, depois de um leve desvio de Gabriel, colocou o time da casa no jogo, de novo.

Que fez o terceiro gol em uma cobrança de pênalti.

Um resultado normal? Sim.

Um resultado justo? Não.

O Paiaiá FC não mereceu sair de campo com a derrota. Infelizmente, nesses jogos de várzea, ainda falta alguém que saiba apitar o jogo. Não estou culpando o “juiz” pela derrota. Mas com alguém mais capacitado apitando, teríamos um jogo muito melhor.

Mas o time do Paiaiá merece os parabéns, mesmo não vencendo jogo. A fase de não vencer ainda continua. Jogamos contra o adversário forte e provamos que a essa fase terá fim no próximo jogo. É hora de vencer. Que chegue logo, domingo.

Hoje é o aniversário de um grande cara. Uma grande “cabeça”, Itaécio Prado. Chegou aos 40 anos. Cabeça, como o chamamos, é o cara que sai irritado de campo quando o time perde e joga mal. É o cara de inteligência brilhante (existe inteligência que não seja brilhante?), que ama esse time, um cara nota 10. Desejamos felicidades  e sucesso em seu novo ciclo de vida.

Parabéns, Cabeça!

PAIAIÁ FUTEBOL CLUBE, MAIS QUE UM TIME!

One comment

  1. PARABÉNS Cabeção, que pena que a vitória não veio, seria numa boa dedicada para você, entretanto o bom futebol apresentado em alguns momentos que tenha sido por e para você cabra.
    Quanto ao jogo, mais uma contusão, vocês não imaginam o quão triste é. Hora de recuperação, novamente, mas desta vez voltarei 100%… Estou na torcida do PFC neste período, desejando ótimas apresentações para todo grupo. E como disse alguém no vestiário: ” nosso time e forte, nosso time é bom”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *