Paiaiá FC, 4 anos!

“Paiaiá FC: um lema, uma paixão, uma história”. Esse bordão, criado pelo cidadão Paiaiaense, Antônio Mário, reflete muito bem a história do Paiaiá Futebol Clube no futebol de várzea da quarta maior cidade do mundo, São Paulo.

Hoje, 01/03/19, o Paiaiá FC comemora 4 anos. Mas nem tudo foi fácil. A começar da ideia de montar um time e inscrevê-lo em uma Liga, até “quem iria fazer isso?”

Eu não gosto das coisas fáceis. Se for me chamar apara fazer algo que seja fácil, não me chame. Eu, Carlos Sílvio, sou movido a desafios, ao que me coloque em circunstâncias adversas e ao trabalho.

Tínhamos uma base muito boa para montar um time: Rui, Uilton, Zé Elson, Jojó, Lio Bala, Márcio, Itaécio,  William e Amarelo, que ainda garantiu trazer dois garotos bons de bola. Esses garotos eram Regis e Fabrício, que além de jogarem muito, são excelentes pessoas.

Mas eu ressalto a importância de Amarelo para a formação desse time. Ele foi peça fundamental.

Fez parte do primeiro jogo os seguintes jogadores: Sílvio,, Zé Elson, Pombal, William, Rui, Uilton, Reis, Itaécio, Zé Nilton, Márcio, Fabrício, Regis e Pedro (veja foto).

O nosso primeiro jogo, em si, foi um desafio. Enfrentamos um time que até hoje não conseguimos derrotá-lo, O Veleiros. E no nosso jogo de estreia perdemos por 2 x 1.

Mesmo com a derrota o time saiu de campo satisfeito com o futebol apresentado e, sabíamos, que poderíamos enfrentar qualquer time na várzea paulista.

Não é fácil organizar jogos de futebol, não é fácil, lidar com pessoas. Sempre haverá divergências e aqui no Paiaiá não é e nunca será diferente de nenhum outro time.

Já realizamos 168 jogos. Foram 96 vitórias; 30 empates; 42 derrotas; 441 gols marcados; 255 gols sofridos; 94 troféus conquistados;

Nossos principais artilheiros são: BINHO: 124 GOLS; Tunico: 77 ; Fabrício: 31 ; Regis : 30; Itaécio: 22;

Durante a trajetória de 4 anos já tivemos vários problemas, e até mesmo, vontade de desistir. Mas eu não nasci para desistir e construir história em nome da minha terra (Paiaiá) é meu principal combustível.

Os que problemas aqui enfrentados são muito pequenos diante do orgulho que esse time me proporciona.

Mas ninguém faz nada sozinho e os responsáveis somos todos nós. O Paiaiá FC, para mim, não é só jogar futebol. É algo muito mais forte.

Certa vez, conversando com o jornalista Diego Viñas, me disse:” eu admiro demais a história de vocês”. O mesmo Diego que nos encheu de orgulho ao publicar uma reportagem em jornal ( Metrô News). Que coisa maravilhosa!

Ah, o jornalista Ricardo Boechar, morto recentemente, também tinha um chaveiro do Paiaiá FC e ainda citou o Paiaiá na Rádio Band News FM. Veja o link: https://www.youtube.com/watch?v=dzimMQFRfOY

Mas eu gostaria de citar os jogadores que fazem parte de tudo isso:

Rui, que sempre foi um referência para mim, como goleiro. O cara que me deu a primeira luva. Que orgulho em jogar com você; Zé Elson, que considero o melhor zagueiro de várzea que vi jogar em São Paulo. Peça fundamental, dentro e fora de campo; Uilton, não há palavras para descrever esse grande ser humano. Jojó, não sei de onde vem tanta saúde.

Gabriel, sempre atento a tudo. Agradecemos também a William (joga muito), Pombal, Reis Prado, Pedro, Prado, Itaécio, o “cabeça” do time, Márcio, Fabrício (matador), Regis(o Iniesta) e Zé Nilton. Rodrigo (como sabe jogar futebol) e Tunico que já parte da “família Paiaiá”. O cara que encantava todo mundo que o via jogar. Fosse torcedores ou o adversário. Binho, o cara que faz a diferença. O maior artilheiro do Paiaiá Futebol Clube -SP (124 gols).

Gostaríamos de agradecer também: Neto, Flávio, Álvaro, Eliel, Gê, Jério, Allan, Caíque, Maurílio, Tinho, Rayner, Juliano, Tarcísio, Igor, Painho, Guduga, Lio Bala, Diogo, Rafinha, Thiago, Ícaro, Jhonatas, Alex, Lândio, Etc. Vocês fazem parte de nossa história.

Somos grato ao escritor Darlan Zurc e ao apoio de pedro Cardoso. Assim como a presença de Moacir. Sempre nos acompanhando e nos dando força.

Como não sentir orgulho ao entregar um chaveiro do Paiaiá FC ao ex-goleiro Zetti.

Um agradecimento especial a Tonho do Paiaiá, citado no iníco do texto. Poucas pessoas sabem do quanto conversamos e da importância que ele é para esse time. Obrigado, Tonho do Paiaiá.

O Paiaiá Fc não só futebol. É muito mais do que isso. É a história de um povo fazendo história na maior cidade do país através do futebol de várzea.

Eu tenho muito orgulho de tudo isso e todos os jogadores que fazem parte desse time.

Para que nossa história ficasse ainda mais perfeita, ainda gostaria de ver o zagueiro Cassinho, vestindo nossa camisa aqui em Sampa e Alcindo. Que para muitos é o melhor jogador da história do Paiaiá FC-BA.

Paiaiá Futebol Clube, 4 anos, mais que um time!

Parabéns !

 

 

 

7 comments

  1. Belo texto com lembranças, citações e opiniões. Fico feliz por fazer parte dessa História, ainda mais por ter jogado e está jogando com muitos desses cabras. São mais de 57% dos jogos transformados em vitórias e 63% dos pontos disputados, se pensarmos em partidas valendo 3 pontos. Pelo time que tivemos e pelo sistema defensivo do momento, que confio, não me conformo com a quantidade de gols sofridos. PARABÉNS A TODOS, TODOS.!!!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *