As Duas Faces do Futebol

Futebol é símbolo de alegria, paixão, vibração, prazer e muita resenha. Este esporte consegue levar multidões, pelo mundo afora, ao delírio. Principalmente no Brasil, esta paixão não se limita apenas aos grandes clubes profissionais, de grandes estruturas, de imensas torcidas, ou com expressiva galeria de títulos e troféus.

Não importa o auge ou o fracasso. O importante é, que para o torcedor seu time é o melhor. Seja ele profissional ou amador.

No futebol profissional existe todo um aparato para sustentação dos grandes times. Presença marcante da mídia, participações diretas de grandes ícones da crônica esportiva, entre tudo, muito marketing, bastidores, tramas e mordomias. Este é o futebol do dinheiro de altos investidores, dos lucros, das vantagens.

Mas por outro lado, podemos classificar um outro tipo de futebol. O que não tem marketing, nem dinheiro, muito menos mordomias e nem investidores. Pouca mídia e quase nenhuma cobertura. Vive sistematicamente do esforço de abnegados desportistas, por puro prazer.

É o futebol que envolve famílias, amigos, comunidades, trabalhadores humildes, gente simples, muito simples, que sustenta a verdadeira identidade de sua comunidade, a arte e a malícia de um jogo de bola.

O futebol amador, é o futebol que revela talentos, que descobre valores, é responsável pelo autêntico papel social de reintegração à cidadania, de aproximação dos excluídos, talvez, única fonte de lazer para a maioria das vilas, bairros, zonas rurais e até cidades inteiras.
Futebol amador é harmonia, amizade, confraternização, respeito, igualdade racial. Todos podem participar, contribuir para o bem estar social com a mesma sintonia.

Pelo interior do Brasil , é comum de se ver equipes amadoras se perpetuarem por várias gerações agregadas. Entre, pais, filhos, netos e bisnetos, formando pilares de sustentações para manterem as raízes e conservação das tradições de suas agremiações.

Ao contrário do profissionalismo. O amadorismo procura manter fiel suas raízes. Não dispersa seu povo. Cultiva bem próximo seu maior patrimônio, o material humano. Cada tempo que se passa aumenta sempre mais um quadro para preservar a história.

As equipes mais tradicionais, além de manterem as escolinhas, categorias de base, possuem também o quadro principal chamado de Amador. Amador é o auge das revelações dentro da estrutura de cada uma.. Depois do Amador, vem os Veteranos, os Masters e agora nova modalidade surge para valorizar ainda mais e enriquecer as páginas históricas do futebol amador, os Super Masters, são os mais avançados no tempo e na vida.

Estes pelotões de Veteranos, Master e Super Máster, são os que já passaram o seu tempo, já contribuíram muito para o desenvolvimento e crescimento de suas agremiações. Hoje praticam o futebol romântico, de toques sutis e de pura exibição. Celebram o tempo da arte e da categoria, que foi substituído pelo futebol de velocidade e da força.

Texto de Jorge Guimarães

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *