Curiosidades da várzea

Gol contra e o fim de linha

A coluna “Curiosidades da várzea” está de volta. Hoje, para contar um fato real.

A história que vocês lerão a seguir é verídica e aconteceu no povoado do Paiaiá,Bahia. Mas, para preservar o personagem dessa matéria irei usar um nome fictício: Plácido.

Há vários fatores que podem levar a um jogador de futebol a encerrar sua carreira. Desde contusões graves a idade avançada. Mas isso está mais relacionado ao futebol profissional.

Porém, há coisas que só acontecem na várzea. Na nossa querida várzea.

Plácido sempre se buscou ser jogador de futebol. Esforçado, disposto a jogar em qualquer posição, ele deixava claro que a sua falta técnica seria compensada por sua força física e doação em campo.

Mas uma sequência de sete jogos, sim sete, o deixou cabisbaixo e pessimista com o esporte mais amado do brasileiro.

O primeiro fato “trágico”, dois, foi em um jogo em que ele atuava de zagueiro: cobrança de escanteio para o adversário, ele tenta “cortar” a bola de cabeça mas joga na gaveta, contra o próprio gol. Não demoraria muito para tentar sair jogando uma bola com o lateral e errar o passe. Mas um gol do adversário.

Nos seis jogos seguintes ele faria mais um gol contra e erraria mais quatro passes que resultaria em gols para o adversário.

Isso mesmo, foram dois gols contra e 5 passes errados, resultantes em gols para o adversário.

A cada erro, a cada término de mais uma partida que ele seria crucificado pelos companheiros, Plácido não conseguia dormir. O que falar para amenizar a gozação dos colegas?

Em leve reflexão, Plácido, ficava atônito com seus pensamentos: ” eu não nasci para jogar futebol”.

Não entrava em sua cabeça o porquê nascera  tão desprovido de habilidade, tendo em vista que era um cara muito esforçado.

Para Plácido aquela máxima de “quanto mais se pratica algo aprende” era puro blá, blá, blá.

Quando Plácido tinha por volta de seus 6 anos de idade não aguentava ver uma bola no campo que corria para pegar. Como se fosse um gandula mirim. Ali, Plácido já demonstrava sua fome de bola, mas não entendia porque seus esforça não valeu a pena.

Plácido, além de nunca ter feito um gol a favor do seu time, ainda cometia erros que comprometiam o bom desempenho de seu time.

Plácido decidiu encerrar a carreira aos 25 anos de idade. Segundo ele, se não conseguia apresentar um bom futebol até essa idade, não conseguiria mais.

Plácido deixa o futebol com a certeza que esforço não faltou. Porém, o que poderá explicar tanta falta de técnica para a prática do futebol, isso, ele nunca entenderá.

Valeu, Plácido!

Se você tem alguma história que envolve a várzea, seja engraçada, real  ou não, envie-nos através do e-mail: paiaia@paiaiafc.com.br e sua história será postada aqui na coluna Curiosidades da Várzea.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *