Prazer, somos o Paiaiá F.C. !

A identificação de um time varzeano  pode se dar de várias formas, uma vez que pode ser vista como dependente da influência de diferentes fatores: paixão por futebol, amizade e a manutenção de uma cultura.

Agrega-se a isso uma campanha vitoriosa, um time marcante, um grande craque, a influência da família e muitos outros elementos são comumente imaginados como ponto de partida da paixão futebolística.

Há na várzea paulistana um grande time a ser lembrado por esses fatores citados e por sua postura e apresentações dentro de campo: Paiaiá Futebol Clube.

Hoje, o Paiaiá Futebol Clube chegou a 21 jogos sem perder. Isso se deve ao fato de muito comprometimento dentro de campo, como foi no jogo de hoje, contra a forte equipe do Águia Negra FC.24231905_1676624045716978_9091260072238611904_n

O time entrou em campo com: 1 Sílvio, 2 Gabriel, 3 Zé Elson, 4 Rui, 6 Thiago; 5 Neto, 8 Álvaro, 7 Guduga, 10 Itaécio; 11 Binho, 9 Flávio.

Com três jogadores no banco de reserva, não havia nenhuma “restrição” para os jogadores que estavam em campo. Cansou, pede para sair.

O campo favoreceu, devido ao espaço, o toque de bola que predominou em todas as vezes que o Paiaiá FC estava com a bola.

Nos últimos dois jogos em que o Paiaiá saiu de campo com dois empates, o time não fez  ou não conseguiu apresentar o seu bom futebol.

A dupla de zaga ( Zé Elson e Rui), fizeram um primeiro tempo perfeito. Ganharam todas as jogadas e comandaram a linha de zaga fazendo os dois laterais se posicionarem em sintonia.

Os avanços do time do Águia Negra foram poucos. Não por deficiência técnica por parte deles, mas por não conseguirem encontrar espaço para a criação de jogadas.

Em sua jogada mais perigosa do primeiro foi numa cobrança de falta que passou tirando tinta da trave esquerda.24294187_1676623325717050_6186543518908395818_n

Neto e Álvaro também estavam  em sintonia, protegendo a nossa defesa. Vale ressaltar que o adversário não chutou uma bola sequer, mesmo que para fora, de frente para o gol.

Coube a Guduga auxiliar a nossa intermediária para que o sempre habilidoso Itaécio articulasse as nossas melhores jogadas.

Binho se movimentava e Flávio fazia o tradicional incômodo aos zagueiros adversários. Numa dessas movimentações, Binho recebeu a bola, tirou do marcador e cruzou para Itaécio, na marca penal, dominar, escolher o canto, com toda calma do mundo e, desperdiçar a chance mais clara do jogo.

Nem mesmo o próprio Itaécio poderia acreditar na chance que um jogador da qualidade técnica acabara de perder.

Fomos para o intervalo com a certeza que o nosso primeiro tempo foi bom e que poderíamos vencer o jogo. Para isso era necessário algum capricho que o futebol, só o futebol é capaz de promover.

De cara, três substituições para a etapa derradeira: 23031504_1647154091997307_7092283067820941241_n

Tunico no lugar de Flávio: essa mudança também causaria uma mudança tática. Teríamos dois jogadores velozes na frente e se houvesse uma boa movimentação na frente, a defesa jamais conseguiria pará-los;

Rodrigo no lugar de Thiago: era necessário. Com o deslocamento de Guduga para a lateral esquerda a intenção era que a qualidade técnica de Rodrigo juntamente com a técnica de  Itaécio, seria o ponto de desequilíbrio no setor da intermediária do ataque, saindo dos dois os melhores passes. Mas a ausência de Rodrigo nos últimos jogos fez com que ele voltasse errando alguns domínios e tempo de bola que não costuma errar.

Uilton no lugar de Rui: uma  necessidade. Depois de um mês em férias e o alto nível do jogo deixou Rui cansado. Com essa mudança Gabriel foi deslocado para a zaga e Uilton foi para a ala direita.

O segundo tempo foi um jogo mais tenso. Explico: dois times bons e disposto a vencer jogando o melhor futebol. Cada bola, cada carrinho, cada dividida, ali estava a concentração total.24231927_1676623585717024_8855271242486692974_n

O Paiaiá FC se consolidava em campo devido a toda concentração dos jogadores.

É praticamente impossível não acontecer: Binho recebe, vi para linha de fundo e cruza para Tunico completar para o fundo das redes. Seria o gol merecido, não fosse o “juiz da casa” para anular, mais um vez, um gol de um time visitante.

O mesmo Tunico, minutos depois daria um passe para Binho perder o segundo “gol feito” do jogo.

Com tantas chances já estava mais do que na hora de sair um gol no jogo. E, pelo volume de jogo o time a merecer era sim o Paiaiá FC.

De Gabriel para Itaécio, que evita que a bola saia pela lateral, dominando no peito, pondo no chão, tira dois marcadores da jogada, toca rasteira para Binho que domina, limpa um, limpa dois e solta um verdadeiro petardo. Que golaço !

Binho, craque, mais um golaço e decisivo. 46 gols em 44 jogos.

No jogo de hoje, além da luta e vontade evidentes, vale ressaltar alguns pontos.

A saber: 24232200_1676624632383586_8137685087524204086_n

1- Foi mais um daqueles jogos para entrar para a galeria dos grandes jogos;

2- Talvez tenha sido o jogo que melhor o nosso sistema defensivo se posicionou. Jogando sempre adiantado e não deixando se envolver com os atacantes adversários que tentavam, em vão, trazer nossa defesa para dentro da área;

3- Não há vitória em erros, mesmo que o time faça uma grande apresentação. Acho normal que chances de gols sejam desperdiçadas, faz parte do jogo, por mais que cobramos e há sempre de haver cobrança.

Mas percebi um certo distanciamento entre o terceiro homem de meio campo em ocupar o espaço que por muitas vezes em que nossos dois atacantes tentavam marcar as saídas de bola, ficava um buraco que dava uma certa tranquilidade para os dois homens do meio campo do Águia Negra conduzir a bola até nossa intermediária.

Um erro que precisa ser observado e corrigido para jogos tão difíceis, como o de hoje ou mais difícil ainda.

Se exceção, todos os jogadores estão de parabéns.

É sim, o jogo que a gente sai de campo com um orgulho retado, como  diz no Nordeste, de levantarmos cedo para jogar futebol de várzea.

Valeu, galera. Que jogo !

PAIAIÁ FUTEBOL CLUBE, MAIS QUE UM TIME!

 

2 comments

  1. Orgulhoso de ser PAIAIÁ; orgulhoso de fazer parte, com o coração óbvio, do Paiaiá Futebol Clube.
    Vocês, moçada que nos representa em São Paulo, são o verdadeiro ORGULHO DE SER PAIAIÁ.
    Parabéns pela vitória, parabéns pela performance!
    Antônio Mário

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *