O apito, de novo!

O Paiaiá Futebol Clube completou hoje 20 jogos sem perder. Porém, o jogo de hoje tem sim um “sabor” de derrota.

CDC Gigantão do Icaraí, JD Icaraí, zona sul de São Paulo. Jogo contra o time da casa: Gigantão FC.

O Paiaiá entrou em campo com: 1 Sílvio, 2 Jojó, 3 Zé Elson, 4 Gabriel, 6 Thiago; 5 Neto, 8 Álvaro, 7 Marcos, 10 Uilton; 11 Binho, 9 Flávio.

Para variar um pouco, a arbitragem continua sendo o grande assunto de todos os domingos, tanto no futebol profissional como no futebol de várzea.

O festival de futebol de várzea funciona assim: a Liga marca o jogo e comunica ao time da casa e ao adversário o horário e contatos dos dois times para os acertos finais para o jogo. O valor a ser pago pelo  time visitante, independente do resultado é de R$ 100, 00.14502830_115536068910813_4591914555088974663_n

O árbitro do jogo é sempre alguém escolhido pelo time da casa. Seja alguém que é frequentador do campo ou mesmo um integrante do time.

A conversa inicial do “juiz” e os dois capitães é sempre assim:” só os capitães falam comigo e as faltas serão todas direta”. Para ele não existe falta em dois lances.

Eu , Sílvio, nunca concordei com isso. Deixo claro que ele deve apitar de acordo com as regras do futebol e não criar a sua maneira. Esse tal de “ninguém fala comigo” só serve para os jogadores de time vistante. Os jogadores do time da casa, falam, esbravejam a vontade e não acontece nada.

Reina um autoritarismo idiota típico de pessoas que não podem ter o mínimo de poder na mão ou no apito. Sem falar que muitos entram em campo em work alcoolic.

O time do Paiaiá poderia ter feito 1 x 0 com Flávio que recebeu uma boa bola de Binho e não soube aproveitar cara a cara com o goleiro.

O Paiaiá não conseguiu fazer um bom início de jogo e o mal futebol apresentado perdurou até o fim da partida.

Não conseguíamos nos organizar taticamente, não conseguíamos ocupar os espaços que corretamente e muitos erros de passes aconteceram em função disso.

O adversário também não criava chances de gols. Um zero a zero típico.23031504_1647154091997307_7092283067820941241_n

Para um jogo morno e feio, tecnicamente, ele precisava entrar em cena: o homem do apito.

Erros grotescos e até os erros comuns se mantém como os principais fatores que acaloram os debates dentro de campo. Tentarei descrever aqui mais um erro grotesco contra times visitantes.

Nesse momento do jogo o nosso time pressionava o adversário e nossa linha de defesa estava praticamente na linha que divide o campo; o atacante do Gigantão recebe a bola a cerca de 5 metros a frande da nossa linha de defesa e da linha que divide o campo; eu, Sílvio, saio do gol, na dividida a bola sobra para o atacante e chuta para o gol vazio….1 x 0.

O que se seguiu a partir daí foram muitas reclamações e tumultos( sem nenhuma violência) que fez o jogo ficar parado por cerca de 5 minutos.

Sabíamos que tínhamos condições de empatar e virar o jogo, mas o primeiro tempo terminou sem nenhuma demonstração que isso poderia acontecer.

No intervalo aproveitei para conversar com  o Sr. Geraldo, responsável do time Gigantão que fez questão de chamar o “juiz”, falar que o lance que originou o gol estava muito impedido e pediu para que ele apitasse de forma correta para os dois times.15698349_194925087638577_4268450330853235394_n

Voltamos com uma substituição: Itaécio no lugar de Neto que assim como o nossos jogadores do meio campo, não vinha fazendo um bom jogo.

Era natural que partiríamos para cima do adversário em busca do gol de empate. Com Itaécio no meio organizando as jogadas houve uma pequena melhora na nossa forma de jogar, mas longe de boas apresentações passadas.

Na lateral direita Jojó demonstrava cansaço; Thiago pela lateral esquerda, ídem. Nossos dois laterais não conseguiam acompanhar  a velocidade necessária de um time que está em desvantagem no placar.

Uilton que vem se recuperando de uma lesão saiu para a entrada de Gustavo; Thiago deu lugar a Neto, Jojó foi para a lateral esquerda e Álavaro , o mais esforçado do meio campo, foi para a lateral direta.

Devemos elogiar os nossos dois zagueiros que fizeram uma partida perfeita em um jogo que o time não conseguiu jogar o bom futebol.

Quando se tem no time um jogador com a velocidade e qualidade como Binho, sempre esperamos uma boa apresentação e que “decida” os jogos.  Mas há jogo que até um jogador da qualidade dele não consegue fazer uma boa partida. Não fez uma boa partida, mas se esforçou…zucker

No gol de empate o “juiz” novamente entra em cena: a bola foi recebida por Flávio por um dos zagueiros do Gigantão. Flávio dominou e, com calma, colocou no canto rasteiro do goleiro para empatar a partida; ouviu-se e viu-se o som do apito e o gesto do “juiz” apontando impedimento; som e gesto repetidos em outra direção. em segundos ele confirmou o gol. Work alcoolic.

Claro que a vitória do Paiaiá FC poderia ter acontecido mesmo com o erro do “juiz”. Qualidade para isso o Paiaiá FC tem, mas não conseguiu demonstrar no jogo de hoje.

Mas não fizemos uma apresentação digna de vitória.

Manter uma invencibilidade de 20 jogos para um time que só joga fora de casa, tendo que enfrentar esses juízes tendenciosos não é algo fácil e deve ser elogiado. Mas o Paiaiá FC precisa voltar a apresentar o bom futebol. Os último dois jogos que empatamos, o time não conseguiu.

Parabéns pelo esforço de todos que compareceram e lutaram no jogo de hoje.

GEnews_134_20131129160912_enNATAL: SEMEANDO LEMBRANÇAS 3

Campanha “Natal: Semeando lembranças”: é uma campanha para fazer o natal de muitas crianças um pouco mais alegre, presenteando com um brinquedo.

Como participar :

Para quem estiver em São Paulo ou em outras cidades, deverá fazer um depósito em conta corrente até o dia 15/12/2017, a/c de Evani Cruz ( solicitar número da conta através do WhatsApp: 011 998796191, Carlos Sílvio).

Ao fazer o depósito, enviar o comprovante.Para os colaboradores do Paiaiá e região, deverá entregar os presentes diretamente a professora Evani Cruz ou na Biblioteca do Paiaiá até o dia 15/12/2017.

PAIAIÁ FUTEBOL CLUBE, MAIS QUE UM TIME!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *