Quando a várzea é tratada como várzea

Responsabilidade social é quando assumimos o compromisso de ao participar de uma comunidade, de um grupo escolar ou de um time de futebol, sempre procurar fazer o melhor. Para que seus companheiros sintam-se prazer em reecontrá-los na próxima parada.

É muito comum chamarmos de “várzea” algo que não tem organização, que não flui como deve ser.

Mas o futebol de várzea pode sim ser organizado se todos assumirmos o compromisso que lhe é devido.

Um domingo antes comentamos sobre a possibilidade de não fazermos o jogo, tendo em vista que alguns jogadores teriam compromissos e não poderiam participar de todo o jogo.

Paiaiá e Unidos do Guerreiro poderia ter um final diferente.

O Paiaiá chegou ao local de jogo com apenas 8 jogadores que compõe o elenco e dois ( Sílvio e Rui), teriam que sair ao final da primeira etapa. Para ajudar o time contamos com a presença de dois garotos ( Rony e Bruno) que um de nossos jogadores trouxe e mais um  jogador que perambulava pelo campo e completou os 11 que iniciaram a partida.

Não há nada mais que me irrite do que chamar jogador “estranho” para completar time.

A diferença técnica e física  dentro de campo, considerando a idades de nossos jogadores e do adversário era gritante.

Uma larga vitória para o Paiaiá era mais do que obrigação.

Fizemos 1 x 0 com Tunico, depois de perdermos algumas chances.

Coube ao goleiro do Paiaiá FC, Sílvio, assistir ao jogo de camarote. Não defendeu uma bola sequer na primeira etapa.

Voltamos para o segundo tempo com um jogador a menos, já que Rui teve que sair para um compromisso. O goleiro do Paiaiá também precisava sair, mas quem iria para o gol?

Sofremos o gol de empate numa bela cobrança de falta. Mas foi aquele gol que não tira o “sono” do goleiro. Afinal, havia em campo um time muito inferior fisicamente.

Gabriel fez de cabeça 2 x 1 e Tunico , que não cansava de perder gols, fez o terceiro.

O jogo ficou parecendo jogo de “comadres”. Um time apenas jogava e o adversário não conseguia acompanhar jogadores como Neto, Bruno e Rony. Óbvio que não.

Coube a Rodrigo fazer um golaço e dá números finais a um dos jogos mais fáceis que o Paiaiá já fez, mesmo sem o número suficiente de jogadores.

Ah, o resultado final : Paiaiá 4 x 1 Unidos do Guerreiro, mas poderia ter sido Paiaiá 9 x 1 Unidos do Guerreiro .

Foi mais um daqueles jogos que não ficará na memória como um brilhante jogo.

Ficará apenas como um jogo desorganizado e que houve uma vitória muito fácil, assim como foi o jogo em que o Paiaiá venceu o Jabaquara por 6 x 0.

É muito ruim quando encerramos um jogo que a várzea foi tratada como várzea.

A várzea merece respeito.

PAIAIÁ FUTEBOL CLUBE É MAIS QUE UM TIME!

 

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *