Paiaiá: um nome, um lema, uma paixão, uma história!

Depois de vencermos o bom time do Satélite por 4 x 2 )domingo passado), vitória mais do que necessária, fomos ao CDC Gigantão do Icaraí para enfrentar pela primeira vez o forte time do Juventude. Time “esporte”, vale ressaltar.
Mas o Paiaiá FC não é um time de veterano? Sim.

Mas gostamos de bons duelos.14615695_1245626815483372_6731195489980259379_o

Com: 1 Sílvio, 2 Márcio, 3 Zé Elson, 4 Rui, 6 Rodrigo; 5 Alex, 8 Regis, 10 Amarelo, 7 Fabrício; 11 Tunico; 9 Lândio.

Com esse time em campo, ressalto de forma positiva para o time a volta de Amarelo e Fabrício, enfrentamos qualquer equipe.

Ainda no primeiro tempo Lândio de machucou e Gê entrou em seu lugar. Fizemos um primeiro tempo muito bom e poderíamos ter feito o primeiro gol do jogo quando Fabrício recebeu sozinho e aconteceu o que dificilmente acontece quando está na cara do gol: caprichou e a bola “beijou” o poste , rasteira , no contra-pé do goleiro, indo para fora.

Com exceção de alguns erros normais e não comprometedores, enfrentando um adversário forte e jogadores novos, o empate em 0 x 0 não estava ruim para irmos para o intervalo.  Óbvio, que não podemos desperdiçar chances de gols num jogo perigoso como esse.

Segunda etapa:img-20160911-wa0302

Com  Flávio no lugar de Tunico, Jojó no lugar de Alex, Uilton no lugar de Amarelo, Rodrigo sendo deslocado para o meio campo , tivemos uma oscilação ao ponto de sofrermos 2 gols em lances que poderiam ser evitados.

Itaécio entrou no lugar de Fabrício que viria a sofrer uma penalidade e executada por ele mesmo diminuiu a vantagem do adversário.

Não conseguimos manter o toque de bola e muito menos a concentração no momento crucial para a partida.

De repente, surge uma alteração no jogo que não contribuiu em nada para jogo, tanto por não sabermos quem estava entrando e em que posição estava entrando.

Poderíamos empatar o jogo, mas a concentração do time já não era a mesma.

Final: Juventude 2 x 1 Paiaiá.

Nunca é demais lembrar que: nunca existiu, não existe e não existirá um “resultado” positivo de um projeto, um grupo, um time, enquanto não houver uma dedicação, um comprometimento a mais do que necessário no sentido coletivo.

Se queremos construir um legado é necessário o envolvimento de todos sem olhar o lado individual. Precisamos superar alguns obstáculos, algumas vaidades e priorizar o coletivo. 14543803_118559098608510_2328119319098560041_o

Nesse intervalo entre o nascimento e a morte precisamos refletir o que vamos deixar como legado. Como queremos ser lembrados por nossos filhos, amigos e familiares .

Esse time é parte de um legado que podemos melhorar a cada dia, a cada jogo(independente do resultado) se o individual não entrar em campo.

Valeu a todos que compareceram hoje. Não vencemos, hoje. Domingo tem mais.

Vamos contribuir com a campanha, “Natal: Semeando Lembranças 2”. Um simples brinquedo e você deixará uma criança feliz.

Paiaiá: um nome, um lema, uma paixão, uma história!

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *